Perú - voltando para casa...

Chegamos a Lima, capital do Perú. Após a noite inteira de viagem de Pacasmayo até aqui, nos acomodamos em um hotel no bairro Miraflores, próximo ao centro de Lima. Como chegamos no final da manhã, não podemos conhecer muito a cidade de Lima. Fomos até a praia de Costa Verde aqui no bairro Miraflores e depois conhecemos a fábrica da Rip Curl. 


Nossa trip está acabando, agora nos resta descansar e amanhar ir para o aeroporto de Lima onde pegaremos o vôo de volta ao Brasil, o que com certeza vai ser uma longa jornada. 


O Perú nos deixara boas lembranças, apesar da desiguldade social e da falta de qualquer tipo de estrutura básica na maioria das cidades visitadas, valeu a rica experiência de vida junto dos amigos de viagem e das pessoas que conhecemos aqui.


Muito do que foi registrado durante esses 19 dias no Perú, será postado aqui no blog. Além disso o filme, O tamanho do meu Perú, que ainda terá parte de sua produção no Brasil deve ser finalizado e disponibilizado até o final do ano.

Queremos agradecer a todos que acompanharam nossa jornada, pelo blog e pelas nossas redes sociais. 
 

Um grande abraço a todos.













Apoio:

Jah Bless!

Perú - Chicama e El Faro...

Com o mar praticamente flat, o surf não apareceu em Pacasmayo. Fomos até Puerto Malabrigo, cidade a cerca de 50 minutos de Pacasmayo, onde rolam as esquerdas mais longas do mundo, conhecida por Chicama. Porém quando chegamos a praia, as ondas estavam tímidas, sem condições para prática do esporte. 


Em Chicama, pode se esperar dias pelas ondas dos sonhos, e acabar surfando pequenas ondas em um mar muito frio comparado com as praias a cerca de Puerto Malabrigo.


  

Decidimos então voltar a Pacasmayo e ver as condições das ondas em El Faro, essas que costumam ser tão boas quanto as de Chicama, chamada de expresso Pacasmayo. 


  

Mais uma vez fomos surpreendidos pelas marolas do pacífico, o swell não chegou como o esperado e Pacasmayo ficará apenas como lembrança do Perú. 


Após três dias em Pacasmayo, começamos a retornar para casa, hoje a noite pegaremos o onibus para Lima, onde ficaremos por mais um dia no Perú, para então pegarmos o vôo de volta para o Brasil.


Apoio:

Jah Bless!

Perú - Pacasmayo...

 

Após dois dias em Huanchaco rumamos para Pacasmayo, província do Peru localizada na região de La Libertad, província que tem uma populção com cerca de 80 mil habitantes, e também um distrito com o mesmo nome, Pacasmayo.



A viagem durou cerca de duas horas, depois do almoço curtimos o fim de tarde no distrito de Pacasmayo. Pelo pouco que conhecemos aqui, já podemos ver que o turismo brasileiro para prática do surf no pacífico movimenta a cidade e seus moradores.


 

Dia de viagem e produção, amanhã acordar bem cedo para curtir El Faro ou Chicama, o swell chegou com consistência e as ondas estão boas para o surfe.

Apoio:

Perú - Trujill, Huanchaco...

Saimos de Lobitos e partimos rumo a Piura, após duas horas chegamos a cidade para devolver o carro e pegar o bus para Trujillo. Depois da noite inteira de viagem pela panamericana chegamos a Huanchaco, praia de veraneio da cidade portuária Trujillo.



Huanchaco é muito famosa pelas Totoras de Caballitos, balsas de cana utilizados pelos pescadores da região a mais de três mil anos.



Os pescadores ficavam de pé em cima das balsas e direcionavam-as com os remos em direção à praia. Estas balsas são as ancestrais da prancha, talhada em peroba.


Porém, a origem do surf traz sempre uma grande polêmica, pois os havaianos desciam as ondas pelo simples e puro prazer de fazê-lo, já para os peruanos era um modo de "voltar" do trabalho. 

Atualmente se dá a origem do esporte aos havaianos, no entanto, sempre quando podem, os peruanos tentam reivindicar isso.  

Ficaremos por aqui por mais dois dias e depois seguiremos para Pacasmayo. 

Jah Bless!

Perú - surf em Lobitos...

Hoje conseguimos mais algumas imagens em Lobitos, as ondas estavam faceis de surfar e todos conseguiram ver os vídeos do surfe no final do dia depois do lanche no hotel.


As ondas baixaram em Cabo Blanco, não tendo condições de surfe. Piscinas estava quebrando mais o menos, porém Lobitos estava demais. 


Sem tubos faceis, Ian Gouveia filho da lenda Fabio Gonveia, estava na água e alucinou nas manobras. Registramos altas ondas de todos que surfaram hoje no pico.



O por do sol aqui no mar faz a diferenca na nossa percepção que estava acostumada a ver o nascer do sol nesta posição.

Estamos a caminho do sul do país, o foco é pegar o melhor swell, com a melhor condição possível para a prática do surf.


Apoio:

Perú - Cabo Blanco, Panic Point...

Acordamos cedo em Lobitos, tomamos um café da manha monarca, checamos o pico piscinas e fomos surfar em Panic point, onde fizemos excelentes imagens e conseguimos pegar algumas ondas com os locais que estavam surpreendentemente muito amistosos.




Panic Point fica em Cabo Blanco, uma enseada de pescadores da província de Talara, nas margens do Oceano Pacífico . É considerado o ponto mais meridional do golfo de Guayaquil. Sendo frequentada por surfistas de todo o mundo.


Algumas ondas bem volumosas permitiam que a rapaziada pudesse correr paredes tubolares em um pico de rochas com pouca profundidade.



Com a chegada do swell e as boas condições das ondas sem dúvida foi o melhor dia de surf da trip. Voltamos a Lobitos para jantar e descansar depois de um dia intenso de surf.  



Apoio:

Jah Bless!

Ecuador --> Perú - Lobitos...

Dia 21

Levantamos cedo para aproveitar nosso último dia em Montanita. Após o café da manhã caprichado no hotel, a galera foi direto para o surf matinal, foi então que depois da última queda em solo equatoriano que pegamos o caminho de volta para Guayaquil, para seguir para a fronteira e retornarmos ao Perú.


Chegamos apenas a noite em Guayaquil, resolvemos então dormir por aqui e conhecer um pouco da cidade com maior número de habitantes do Equador, cerca de dois milhões de pessoas.


Dia 22


Acordamos na saída sul de Guayaquil, onde dormimos em um hotel de beira de estrada, seguimos então para o norte do Perú. Foram cerca de 500km de estrada até Lobitos, um dos seis distritos de Talara, onde almoçamos e decidimos ficar durante os próximos dois dias antes de partir para o sul do país.



O prometido swell chegou, porém com muita força, prejudicando a formação perfeita das ondas tubulares de Lobitos, mas a massa d’agua valia o drop. Segundo as previsões seguidas pela internet e as condições vistas aqui amanhã o dia promete muito surf. 

Jah Bless!

Ecuador - dia de surf em Montanita...


Logo após um bom café da manhã no hotel de Montanita, a rapaziada já foi para a primeira queda do dia. Calor, sol e a maré seca que revelou o fundo de pedras proporcionaram ótimas ondas durante toda a manhã.


Depois do surf matinal e um banho de piscina, almoçamos no hotel e decupamos as imagens que foram gravadas até o momento na expedição. Acabando a digestão e os serviços do dia, a galera voltou para o mar e para surfar as ondas do final de tarde até o anoitecer.

 

Agora é se arrumar para a janta e decidir qual será nosso próximo passo para a trip. Com as boas ondas que surgiram em Montanita surge uma nova pergunta, permanecer mais um dia no Equador ou voltar para o Perú?

Apoio:
FWW Brasil.
IBS Tecnologia Web.
Residencial Mirante do Campeche.

Realização: Acélula

Jah Bless!

República Del Ecuador - Montanita...

Acordamos hoje pela manhã em Guayaquil,e partimos para Montanita, litoral equatoriano de ótimas ondas. Após 3 horas de viagem e muito sal, chegamos a Montanita.


Logo que chegamos a cidade vimos as direitas dando condições para o surf, e foi assim durante toda a tarde.


Depois de um por do sol alucinante na linha do Equador e com uma lua cheia gigante vamos descansar para amanhã cedo, pegarmos o surf em sua melhor hora.



Ficaremos em Montanita até segunda feira quando voltamos para o Perú para receber o swell que está por vir forte.
Apoio:
FWW Brasil.
IBS Tecnologia Web.
Residencial Mirante do Campeche.
Green Produção Multimídia.

Realização: Acélula

Jah Bless!

Perú - e o Perú cresceu...

Hoje pela manhã durante conversa para decidirmos o que íamos fazer, foi decidido partir para o Equador. Como as ondas ainda não chegaram com força total ao norte do Perú, decidimos desbravar o extremo norte do país e ir até o Equador.


Logo saindo de Talara, passamos por Lobitos para ver como estavam as condições das ondas, e fomos surpreendidos por um metrão de onda constante.  A rapaziada foi obrigada a cair, e ótimos registros foram feitos durante a tarde de surf. Esporte esse, que no Perú se tem incentivo desde pequeno.



Após algumas ondas, retomamos nosso rumo ao Equador parando apenas para almoçar em Máncora, uma das melhores cidades visitadas até agora no Perú. Depois do almojanta partimos rumo a fronteira por mais uns 100km até chegar a divisa dos países já de noite. 




Depois de passar pela migração dos dois países rumamos para Guayaquil, onde estamos agora. Logo que entramos no país notamos a diferença entre os países, saímos do clima desértico do Perú e estamos agora nos climatizando com o verde equatoriano.
São duas horas da manhã, paramos apenas para descansar, amanhã cedo estamos indo para a praia de Montanita onde esperamos pegar ótimas ondas e desbravar o Equador.

Apoio:
FWW Brasil.

Realização: Acélula


Jah Bless!